resgate de obras…


 

Sempre fico indignada com o roubo de quadros. E fico ainda mais indignada com maneira como são achados. No último dia 15, foi encontrada a última obra que faltava do roubo da Estação Pinacoteca, dia 12 de junho, a gravura “Minotauro, bebedor e mulheres” [foto], de Pablo Picasso. Sei que deveria dar pulos, mas muito me intriga como ela foi encontrada: embrulhadinha em plástico bolha e papel pardo, atrás de um eucalipto próximo a uma passarela, na rodovia Raposo Tavares. Mas que ladrões cuidadosos, não? Embrulhar direitinho para devolver a obra. “O pintor e seu modelo”, também de Pablo Picasso, estava debaixo do telhado do prédio, onde o bandido morava. Os quadros roubados, em dezembro, do Masp, foram encontrados em uma casa em Ferraz de Vasconcelos – será que esses estavam pendurados na parede da sala?

Mas o ladrão mais criativo foi o do roubo de  Campo de Papoulas perto de Vétheuil (1879), de Claude Monet, e Branches de Marronier en Fleur (1890), de Vincent Van Gogh, da coleção Emil Buehrle, recuperados em 19 de fevereiro. As obras estavam dentro de um carro estacionado em um hospital psiquiátrico. Bem que dizem que todo artista tem um pouco de louco – ok, não sou boa com piadas.

PS: Não sei por que, mas esses saques, pelo menos os nacionais, me cheiram a golpe de marketing.

Anúncios

Um comentário sobre “resgate de obras…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s