os melhores contos de loucura


contosdeloucura

Com o fim do ano, fim de aula, inferno astral (eu não acreditava, mas eu não tenho outra explicação para os acontecimentos do mês de novembro), começo de TCC e outras cositas más. Eu pensei que ficaria doida. Mas acho que está tudo ok — ainda não rasguei dinheiro, pelo menos. Porém, mesmo estando lúcida, o tema loucura me atrai muito. Tanto que nas férias escolares de julho de 2007, eu li Os melhores contos de loucuras, organizado pelo Flávio Moreira da Costa.

Hoje, um ano e meio depois, peguei o livro na estante para escrever esse post, aí sim, quase fiquei louca. Dos 36 contos, eu me lembro com clareza de no máximo DEZ! Do resto eu tenho uma vaga lembrança. Contudo, eu me recordo direitinho da angústia e da depressão que senti ao ler alguns contos, e como fiquei perturbada ao terminar o livro.

Os contos estão divididos em Loucura e cotidiano, drogas, clínica e testemunho. Antes de cada um, há uma boa explicação de Flávio sobre o autor, o conto e o porquê da escolha. Um dos poucos que ainda permanece vivo na memória é Por dentro de um espelho, de Valeiéri Briússov. Talvez a explicação de esse ter sobrevivido seja o tema envolvido na loucura: o espelho. Uma mulher apaixonada por espelhos, um dia acaba trocando de lugar com o seu reflexo, e passa morar dentro dele. Desde pequena, sempre tive a curiosidade de saber como é o mundo do lado de lá do reflexo.

Outro que também me causou impacto, mas ao mesmo tempo me enterneceu, foi Véra, de Villiers de L’Isle-Adam. Um velho conde extremamente apaixonado por sua mulher tenta negar a morte dela, e passa a viver com a defunta, tendo fé de que, um dia, ela ressuscite. E, por fim, as duas cartas de Van Gogh a Théo. A correspondência com o irmão revela um pouco do cotidiano do artista no hospício, pedidos de tintas e uma frase que… Enfim… Seria a primeira se eu fizesse um dia um livro de citações como Eduardo Gianetti.

Infelizmente tenho uma profissão que não conheço bem o bastante para me exprimir como gostaria.

Imaginem se ele conhecesse bem…

É arte: a selção de Flávio Moreira da Costa. Há texto de Tchekhov, Gogol, Pirandello, Edgar Allan Poe, Charles Dickens e Machado de Assis.

É fato: o número de paranóicos está aumentando, segundo a matéria que li no site d’O Estado dias atrás.

:: Os melhores contos de loucura, de Flávio Moreira da Costa (org). 2007. Ediouro. 400 págs. R$ 49,90.

Anúncios

4 comentários sobre “os melhores contos de loucura

  1. Olha que coisa…li de novo este post e ia comentar mas entro aqui e já comentei. Devo estar menos louca hoje porque vou colocar este livro na minha lista de presentes da Cultura. E sim, o mundo tá ficando mais louco. A vida está cada vez menos simples e ninguém aguenta isso por muito tempo. O trânsito também tem sua grande parcela de culpa, sabia? Juro, acho isso mesmo! {D.}

  2. Olá, Júlio Cesar! Eu desconheço qualquer link para o download do livro. Mas, com certeza, você o encontra em livrarias e sebos.

    Um abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s