30 filme do Woody Allen em 30 tweets


O que eu mais adoro no Woody Allen é a liberdade, que ele usa de maneira absoluta. Faz drama, musical, comédia, documentário, filme colorido, preto & branco… O que achar que é melhor para passar a ideia que tem na mente, ele usa. E utiliza esses recursos com muita propriedade. Admirável! E dos trinta filmes dele que vi, é essa característica que se sobressai e me faz adorá-lo.

1. O que há, tigresa? (1966)

A coisa mais bizarra que já vi. W. Allen simplesmente pegou um filme japonês e dublou as falas dos atores com um roteiro totalmente nonsense.

2. Bananas (1971)

Com esse filme eu entendi a diferença entre ser um filme bobo e engraçado. E esse é engraçadíssimo. Excelente encadeamento de piadas.

3. Dorminhoco (1973)

Fica todo mundo falando em W. Allen no Rio, nhé, nhé. O diretor pensou em filmar o Dorminhoco em Brasília, mas faltou grana.

4. Noivo neurótico, noiva nervosa (1977)

1, 2, 3x Diane + Woody. Pra mim, a Keaton é a melhor atriz com quem Allen já contracenou. E não é à toa que Annie Hall foi feito pra ela.

5. Interiores (1978)

Eu nunca tinha visto um filme sépia. E cor retrata muito bem interior daquelas pessoas em ambientes vazios, como suas vidas.

6. Manhatan (1979)

Uma das fotografias mais lindas dos filmes de W. Allen. Mas acho que tem um problema de ritmo. Sempre acho que seria melhor se fosse um livro.

7. Memórias (1980)

É um filme cheio de referência aos cineastas queridos de Allen, Fellini e Bergman, e a si mesmo – a história de um cineasta entediado com os fãs e estúdio.

9. Sonhos eróticos de uma noite de verão (1982)

Toma emprestado o ambiente bucólico e clima de época para tratar de um tema sempre atual: a vida sexual dos casais (casados, noivos e namorados).

09. Zelig (1983)

É melhor documentário-ficcional que já vi.  Em algumas que eu chegava a me perguntar se realmente o Zelig não teria existido.

10. Broadway Danny Rose (1984)

A gênesis de Melinda e Melinda está ali. Um grupo de amigos num restaurante contam a história desse produtor da Broadway que só se mete em confusão.

11. A rosa púrpura do Cairo (1985)

O meu favorito. Quantas vezes não sonhamos em namorar aquele(a) personagem perfeita dos filmes? Mas a realidade é dura, babe. Ô se é.

12. Hannah e suas irmãs (1986)

É um dos filmes mais famosos do diretor, mas eu não gostei muito. Achei chato de verdade. Tanto que não lembro de nada.

13. A era do rádio (1987)

Fabuloso! Ótimo roteiro, ótima atuação, ótima trilha, ótima fotografia. Eu simplesmente adoro. #sempalavras

14. Setembro (1987)

Eu amo o mês de setembro sem saber por que. Mas isso não me fez gostar do filme. Confesso: eu dormi por uns 20 minutos. É mais um filme para Mia.

15. A outra (1988)

Um dos meus favoritos. É tão delicado, tem personagens tão profundas. Há uma gravidade que dualiza com a fotografia sutil. O melhor drama de Allen #semdúvidas

16. Crimes e pecados (1989)

Match Point já estava ali. Pegando emprestado o título da minha obra favorita da minha artista plástica favorita, o filme é O paradoxo do Santo.

17. Simplesmente Alice (1990)

Mais um para Mia, mas muito divertido. A melhor palavra que encontro para defini-lo é bonitinho. Não tem nada demais, mas é tão bonitinho. #Cutie

18. Neblinas e Sombras (1992)

Me lembrou o Xangô de Backer Street. Mas o de Allen é infinitamente melhor, claro. E o que é aquela fotografia expressionista alemã?! #lindo

19. Maridos e esposas ( 1992)

Um pouco cansativo. E tanto autobiográfico. É muito interessante a linguagem documental utilizada. E aquela personagem da Juliette Lewis me irrita!

20. Um misterioso assassinato em Manhatan (1993)

Keaton e Allen forever! Sem dúvida Keaton é a melhor atriz de todos seus filmes. E mais uma vez o diretor faz homenagem aos grandes, agora, O. Welles.

21. Poderosa Afrodite (1995)

Sessão da tarde. Um filme divertido. É interessante o uso do teatro grego, mas só. #nadademais

22. Todos dizem eu te amo (1996)

Sou suspeita para falar porque amo musicais. Se encaixa na mesma definição de Simplesmente Alice: é tão bonitinho! Para sair do cinema sorrindo.

23. Desconstruindo Harry (1997)

Eu não gosto. Não combina com estilo de Woody Allen. É um filme sujo, cheio de palavrões. Me incomodou muito!

24. Poucas e boas (1999)

Mais um que entra para lista dos não gostei. E não consegui nem terminar de vê-lo inteiro.

25. Dirigindo no escuro (2002)

Também sessão da tarde. A diferença desse é o acidez com a crítica americana, que andou de mal com o diretor por uma década.

26. Igual a tudo na vida (2003)

Passando o legado? Allen está em cena, e Jason Biggs está representando a personagem de sempre de Allen, mas 20 anos mais moço.

27. Melinda e Melinda (2004)

É aquela promoção clichê: pague um e leve dois: uma comédia e um drama. E dois são bons – mas eu prefiro o drama, sempre!

28. Match Point (2005)

Todos gostam e acham muito bom. Eu acho o roteiro sensacional, no entanto a Scarlett Johansson me irrita muito para eu gostar do filme como deveria.

29. Scoop – o grande furo (2006)

Dispensável. Ok, eu me ofendi com visão de Allen sobre jornalistas. Mas de fato o roteiro é muito fraco. Salvam-se apenas pouquíssimas piadas.

30. Vick Cristina Barcelona (2008)

Se não fosse a Penélope Cruz… nada sobraria do filme. (Talvez a fotografia.) Caricatura fraca dos espanhois e as duas atrizes… nem Shiva salva!

Anúncios

5 comentários sobre “30 filme do Woody Allen em 30 tweets

  1. Ouch! 🙂 Essas últimas resenhas aí foram implacáveis, dona K!

    Tenho curiosidade pra saber sua opinião sobre O Sonho de Cassandra. Acho que foi o último filme dele que eu vi. Ah, não! Teve Hannah e suas irmãs depois. Ugh. Já tá na fila aqui: Crimes e Pecados e a Rosa Púrpura do Cairo (só vi pedaços!).

    Em tempo:
    1) http://www.submarino.com.br/busca?q=box+woody+allen&dep=+&x=0&y=0 Eu olharia essa lista com carinho. Não sei se a promoção ainda tá rolando, mas dá pra comprar DOIS boxes pelo preço de um. Só tenho o volume dois (comprei uma temporada de série tb), mas compensa muito. :’)

    2) ACABEI DE DESCOBRIR que um dos meus atores favoritos na adolescência blasé que eu tive tá em “Sonhos Eróticos de Uma Noite de Verão”. Ai meu Deus.

  2. Ai, Cláu! Não vi ainda. Quer fazer uma participação especial e postar um tweet sobre o que achou desse?

    1) Demais! Mas eu tô bem dura pra gastar com qualquer coisa.

    2) Hahahahaha. Quem, o Tony Roberts?

  3. Nossa, eu ia falar justamente desse, que era o que tava faltando…hahaha.
    Então deixa pra lá 😉

    Completando o comentário da Maira com um tweet dela: “Sonho de Cassandra, do Woody Allen: não é dos melhores dele, mas ver Farrel e McGregor contracenando já vale a pena!”

  4. Também senti falta de “O Sonho de Cassandra”, que achei o mais fraquinho do Woody Allen nesses últimos tempos. O que não significa que seja ruim – talvez apenas não tão bom quanto os outros.

    E aí é que está nossa maior divergência: achei que você foi dura demais com os filmes do Woody nessa “retomada” recente dele, pós-2003. E a bronca com a Scarlett, aliás, nem comento, né? 😛

    Scoop é legal. E Vicky Cristina Barcelona, excelente! Mas aí veio a bronca com a Scarlett de novo… 😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s