(500) dias com ela


Hoje faz 500 dias que nos vimos pela primeira vez. Hoje deveria ser o dia do meu recomeço, se minha vida fosse o filme (500) dias com ela. Nossa história começou, na verdade, como a já clássica comédia romântica Mensagem pra você. Mas para ficar em um filme só, vamos ficar com o (500) dias com ela mesmo – já que vimos juntos e fez parte de um dos vários momentos inesquecíveis vividos nesse período.

No começo, depois de aproximadamente 370 dias que tínhamos nos visto pela primeira vez, eu tinha um quê de Summer (Zooey Deschanel) – não queria nada sério, afinal, era uma solteira muito da convicta. Ele tinha tudo de Tom (Joseph Gordon-Levitt) – “vamos namorar sério?”. E as coincidências acabam por aqui.

O filme é muito bonitinho. E mesmo sabendo, logo no começo, que essa é uma história que não deu certo, você torce para que os dois fiquem juntos no final. Aliás, o final estraga o filme. Totalmente desnecessário. Mas não se preocupem que não vou adiantar para vocês. Como resumiu João Pereira Coutinho:

“Acompanhar a história de Tom é relembrar as histórias pessoais que foram cumprindo o mesmo cardápio: da euforia ao impasse; do impasse à angústia; da angústia à despedida.”

E como dói essa despedida. Quando estamos apaixonados acreditamos no “felizes pra sempre” só que às vezes o infinito dura pouco. Nesse momento, entendemos que vida não é um conto de fadas nem uma novela em que o mocinho fica com a mocinha no final. O filme mostra um pouco isso: amar/gostar de/estar disposto por alguém não significa que sua história terá um final feliz. É difícil encontrar uma pessoa para passar a eternidade  – se é que isso existe. 500 dias talvez até seja uma boa marca para os dias hoje (apesar de achar que poderíamos ter vivido, pelo menos, uns 1000 juntos de verdade).

É arte: a trilha sonora, de Mychael Danna e Rob Simonsen, que eu conheci primeiro que o filme pela minha amiga Izabel. Entre as preciosidades está a There is a light that never goes out, de The Smiths. E o figurino também. Ai como eu queria usar as roupas da Summer.

É fato: depois de uma desilusão amorosa a gente sempre acha que “agora nunca mais”. Eu ainda estou na vibe da música De mais ninguém, da Marisa Monte e Arnaldo Antunes. Mas a vida continua… Mesmo sozinha.

:: (500) dias com ela – de Marc Webb. Duração: 95 min. EUA. Comédia. 2009.

Anúncios

3 comentários sobre “(500) dias com ela

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s