museu do futebol


Já fui ala direita do time de futsal do colégio. Era praticamente um Roberto Carlos. (Antes que alguém se pronuncie: EU SEI QUE ELE É LATERAL ESQUERDO!) Até os meninos morriam de medo da potência do meu chute. Mas isso durou apenas um ano, nunca fui muito chegada aos esportes – apesar ter ter também participados dos times de basquete e handebol. Hoje, meus conhecimentos futebolísticos se resumem a saber que há 22 jogadores em campo, 11 para cada lado; que não é à toa que o meu time usa uniforme verde, cor da esperança; e que temos o melhor goleiro e técnico do mundo (Marcos e Felipão, eu admiro muito vocês!). E já basta. Odeio Copa do Mundo e ver homens assistindo jogos – eles viram uns animais. E mesmo assim, consegui me encantar no Museu do Futebol.

Claro que não iria até lá se não fosse à trabalho. Mas valeu a experiência. Achei lindo ouvir o Osmar Santos narrando um gol do Palmeiras. Me emocionei muito ao ver aquelas torcidas vibrantes sendo projetadas naquele buraco da arquibancada.  Adorei a homenagem feita a grandes personalidades brasileiras, como Mário de Andrade e Tarsila do Amaral. Me diverti horrores jogando pebolim. E parei para ver os grandes dribles selecionados pelo meu querido orientador de tcc, Celso Unzelte. Enfim, pra quem não gosta de futebol – apesar de amar a arquitetura do Pacaembu –, foi um passeio e tanto que eu recomendo a todos. Inclusive aos “odiantes” do esporte.

É arte: o estádio do Pacaembu é uma das construções mais lindas da cidade. Vejam [acima] as fotos dos fotografos Hildegard Rosenthal e Thomaz Farkas

É fato: eu sou uma irmã muito legal. Ao contrário de mim, minha querida irmãzinha a-d-o-r-a futebol. Uma das torcedoras mais fieis ao Palmeiras que eu conheço (que inclusive escolheu o namorado pelo time, tenho certeza). Ela sempre sonhou em ir a um jogo, mas meu pai achava que estádio não era um lugar de menina. E eis que a irmanzona que voz fala foi fazer a caridade. Levei a fofa pela primeira vez num estádio para ver Palmeiras X Barurei. O jogo terminou empatado em 1×1, mas foi muito divertido assistir a uma partida no Palestra, cantar o “Dá-lhe, Porco!” e ver a alegria da caçula em estar ali. Ok, a foto demonstra um pouco a frustração dela com o placar final. (Moniquita, um dia eu te levo ao “Paca” para ver um outro jogo do calminho do Palmeiras e o Museu, tá?)

:: Museu do Futebol – Pça. Charles Müller,  Pacaembu,  tel. 3664-3848. 3a./dom. 10h/17h

Anúncios

Um comentário sobre “museu do futebol

  1. kakakakka … Adorei!! E nunca esperava que você diria bem do futebol, já que nem gosta do esporte! =D
    Vou cobrar, viu? (você me levar ao estádio! ^^ )
    Beeijo, irmã preferida =P

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s