o discurso do rei


Sou daquelas repórteres que estão sempre à procura de personagens incríveis. Depois de encontrá-las, começa o drama de como contar bem a sua história. “O discurso do rei” é exatamente a síntese disso: duas personagens incríveis e uma história muito bem contada.

Como um rei, que vive praticamente do poder de falar para os seus súditos, poderia ser gago? Esse é o drama que vivido por  George V (Colin Firth), pai da intrépida Elizabeth II. Para ajudá-lo a se livrar da gagueira, sua amada esposa Elizabeth (Helena Bohan Carter) contrata o experiente fonoaudiólogo Lionel Logue (Geoffrey Rush).

Por si só, o fato já bastante envolvente. E o habilidoso Tom Hooper  soube retratá-lo tão bem, que fez até a Elizabeth II ficar emocionada. Não é um filme com grandes efeitos especiais, nem dramático para fazer as pessoas se debulharem em lágrimas. Não tem tiro, não tem sangue, não tem cenas de sexo. Mas a história é contada de uma maneira corretíssima, sem nada a tirar ou pôr. E Firth e Rush estão em suas melhores atuações – tanto que Firth ganhou o Oscar de melhor ator e Rush o BAFTA de melhor ator coadjuvante. Fazia tempo que eu não assistia a um filme assim, que apenas contasse bem uma história sem apelar a qualquer um dos artifícios clichês dos cinemark’s-da-vida. É de dar inveja a muitos jornalistas por aí…

É arte: eu poderia escrever novamente sobre os atributos de Colin Firth. Mas, em respeito ao Fábio Matos, vou dar louros ao real discurso do George V.

É fato: ao escrever esse post encontrei um documentário muito interessante da National Geographic sobre a gagueira de George V. Confiram:




:: O Discurso do rei –  drama. Inglaterra/2010. Rot.: David Seidler. Dir.: Tom Hooper. 118 minutos.

Anúncios

Um comentário sobre “o discurso do rei

  1. Pode falar dos atributos do Colin, já tô acostumado! Ah, e pô, eu quase me debulhei em lágrimas na cena do discurso do rei em si! 🙂

    Acho que as pessoas têm medo da história, principalmente quando ela está passando bem diante dos nossos olhos. É assim em tudo na vida, inclusive no cinema.

    Achei “O Discurso do Rei” um dos 5 melhores filmes que vi na vida. E arrisco dizer que, daqui a 30 anos, ele ainda será muito lembrado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s