Roberto Silva, 90 anos – a falsa baiana


Eu não sabia quem era Roberto Silva até abrir o jornal hoje de manhã. Neste domingão ensolarado, o sambista está completando 90 anos e descobri que ele é foi o intérprete de uma série de sambas que eu ADORO. Entre eles, “Falsa Baiana”. Porque eu sou uma “falsa baiana”. Venho de uma família baianíssima, mas odeio praia, calor, vatapá, acarajé e a família Magalhães. Mas adoro Gal, Gil, Caetano, Olodum, Jorge Amado, tapioca, dormir na rede, vestir branco e fitinhas do Sr. do Bonfim. No entanto, ao contrário do que diz a música, que a “falsa baiana” seria aquela “que entra na roda e só fica parada”, eu não sei ficar parada quando ouço um cavaquinho e tamborim. Claro que eu não tenho o gingado das baianas verdadeiras, mas eu herdei algum gene da minha vó, ou do meu pai, que me faz “dá nó nas cadeiras”. Parabéns, príncipe do samba!

PS.: Aos que acham que o Paulinho da Viola é o príncipe do samba, ele mesmo corrige: “Príncipe é Roberto Silva. Eu sou só um vassalo”.

Anúncios